Archive for dezembro \14\UTC 2012

Tempo, Mestre Tempo.

Sem conseguir parar, deixo fluir

Sinto a esperança me aquietar a alma

Enquanto isso, nas entrelinhas conquisto um pouco de acalanto

Sinto-me forte para esperar mais um dia, mais um pouco

A cada por do sol a fragilidade passa

Penso no tempo que tenho que esperar e sei que valerá a pena

Cada degrau construído, cada passo dado

Os sonhos que guardo inteiros,

Me fazem permanecer intacta e responsável pela minha felicidade.

Sei que o tempo passa e é mestre do tempo e das horas

Hoje sou um mar esperando um rio se derramar

Como um dia frio esperando o sol apontar

E um poema incompleto desejando tuas palavras pra rimar

Read Full Post »

%d blogueiros gostam disto: