Archive for junho \23\UTC 2009

>Silêncio da alma

>Permita-me calar
Mas permita-me também não te ouvir
Quero o silêncio mais impossível
O silêncio de ti, alma
Alma poderosa e capaz
Mas receosa e obstinada
…Pelas cores, pelas dores, pelas formas e feitos
Que se importa com a resolução das gentes
Com a intriga e a oposição
Se aprisiona sem querer ao mais doce gesto
E se machuca sem intencionar ou rogar
Quem a machuca não é capaz de entender

Que aí dentro existem tantas quantificações sem explicações
E ignora o fato de que a ferida aberta, sangrando

Não cicatriza tão rápido
E que a recuperação é lenta, quase invisível
Ah! Alma que se esvai e se derrama sem pudor
Permita-me calar sua voz
Tens me fatigado!!!

Mônica

Anúncios

Read Full Post »

%d blogueiros gostam disto: